Missionário Alessandro Navarro - Família Navarro

Alessandro Navarro

Elizana D’Carvalho Navarro

Aleandher Kevyn D’Carvalho Navarro

Alessandra Késie D’Carvalho Navarro

 

Introdução

 

Com o imenso desejo de ver uma geração bem informada e comprometida com a evangelização das nações, depois de algumas viagens missionárias para Bolívia, Argentina e Paraguai nos anos de 1999, 2003, 2004, 2013 e 2014 quando levamos grupos para terem suas experiências transculturais, fomos impactados depois que percebemos os desafios vividos por amigos que atuam na Bolívia.

 

Como temos atuado nas áreas de mobilizações e ensino vimos a necessidade do desenvolvimento de um trabalho nestas áreas nas igrejas, seminá- rios e universidades. O projeto com universitários começou na visão do Pr Marcelo Rodrigues, pastor da IBCI – Igreja Batista Central em Itaquera, quando em visita à cidade de Cochabamba na Iglesia Bautista em Tiquipaya pastoreada pelo Pr Leandro Mamani, observou a grande necessidade de desenvolver um trabalho de pastoreio com a juventude universitária brasileira que soma mais de 5000 estudantes.

 

Estes não possuem nenhum tipo de trabalho voltado para o evangelismo, discipulado e pastoreio.

 

Em Cochabamba existem outras universidades espalhadas na cidade mas pouco trabalho direcionado aos jovens.

 

O número de brasileiros estudantes na cidade está em torno de 30 mil e crescendo.

 

Muitos jovens, por estarem longe de sua pátria e lar acabam se afastando do Senhor e se aproximando das mas companhias indo para baladas aos fins de semana, se envolvendo em prostituição, drogas e há até casos de suicídio.

 

Tendo em vista o fato de eu, Alessandro Navarro, ter feito parte do corpo docente da SEBTEO – Seminário Batista de Teologia – e da secretaria da IBCI, estar disponível para ser enviado ao campo, foi discutida a viabilidade da família ser enviada para este projeto. Em Maio deste ano, fui designado a Cochabamba para acompanhar e interpretar o Professor Áriton Omar Simis, que ministra aulas de Grego.

 

Nesta oportunidade estive na Igreja Batista em Tiquipaya podendo conhecê-los. Também estive acompanhado de Jean Augusto de Carvalho, membro da Primeira Igreja Batista de Guaianases, zona leste de São Paulo e aluno do curso de medicina na UNIVALLE-Universidade do Valle, para conhecer o campus universitário.

 

Estivemos também a uma outra igreja, Batista CALAMA, na região central da cidade onde existe um grupo de jovens que se reúnem aos domingos à tarde mas por ser longe da UNIVALLE estudantes desta não frequentam os cultos.

 

Contudo este trabalho foi inspirador. Nos dias 24 a 30/11/14 estive na cidade de Cochabamba com o Pr Leandro Mamani onde além de participar do aniversário da Igreja que vamos atuar, pudemos estreitar os relacionamentos com os irmão e acertarmos algumas estratégias quanto ao trabalho a ser desenvolvido entre as igrejas e conselhos de pastores local. Breve Contexto histórico-cultural de Cochabamba

 

A população boliviana, estimada em 10 milhões de habitantes, é multiétnica, possuindo ameríndios, mestiços, europeus, asiáticos e africanos. A principal língua falada é o espanhol, embora o aimará e o quíchua também sejam comuns. Além delas, outras 34 línguas indígenas são oficiais.

 

O grande número de diferentes culturas na Bolívia contribuiu para uma grande diversidade em áreas como a arte, culinária, literatura e música.

 

O território boliviano é habitado há mais de 12 000 anos. No local, foram formadas vá- rias culturas, principalmente nos Andes, destacando-se, especialmente acultura Tiwanaku e os reinos aymaras posteriores à expansão Wari.

 

Estes reinos foram, por sua vez, anexados ao império Inca no século XIII. A cultura Tiwanaku se desenvolveu em torno do centro cerimonial homônimo próximo ao lago Titicaca. A sua fundação ocorreu provavelmente antes do ano 300. Posteriormente, a cultura inca estabeleceu um vasto império no século XV, pouco antes da chegada dos espanhóis.

 

Durante esse século, a Bolívia esteve ocupada por vários grupos de língua aimará (collas, pacajes, lupacas, omasuyos), destacando-se os collas, que dominaram um vasto território e que lutaram com os falantes de língua quíchuas de Cusco pelo controle da região. Os collas foram derrotados pelo inca Pachacuti, que se apoderou de quase todo o planalto boliviano.

 

A Bolívia constituiu, durante quase um século, uma das quatro grandes divisões do Tahuantinsuyo (império inca) sob o nome de Collasuyo. Cochabamba É a capital do departamento homônimo e a terceira maior cidade do país. Sua população é de cerca de 600 000 pessoas. A cidade foi fundada pelos colonizadores espanhóis em 1571 com o nome de "Villa de Oropeza". Tomou o atual nome em 1786. Localiza-se no oeste do país, numa depressão da Cordilheira Oriental a 2 560 metros de altitude. É uma cidade de economia agrícola.

 

Também é um importante centro comercial (feira de produtos agrícolas regionais) e industrial (refino de petróleo, indústria alimentí- cia). Possui minas de estanho, prata e cobre. Razão da invasão espanhola.

 

Objetivo Geral

 

Atuar, no desenvolvimento do cuidado pastoral nas universidades, na capacitação de obreiros aos campos missionários e com as demais igrejas e seminários da cidade e país, contribuindo para o ministério de Missões Mundiais. Somar experiências nas áreas de mobilização, conscientização missionária, palestras em seminários, igrejas e cuidado pastoral. Resultados 1. A promessa de Jesus Cristo: “Daí e ser-vos-á dado; boa medida, sacudida, recalcada, e transbordante vos deitarão no vosso regaço” (Lucas 6: 38). 2. A alegria por estender o Reino de Deus entre as nações: “Portanto ide, e fazei discípulos de todas as nações (etnias)” (Mateus 28: 19). 3.

 

O Reconhecimento do Senhor da Seara: “Muito bem, servo bom e fiel; sobre o pouco foste fiel, sobre o muito te colocarei; entra no gozo do teu Senhor” (Mateus 25: 21). 4.

 

Obediência à Grande Comissão –

 

A igreja alarga sua visão missionária e vai até aos confins da terra conforme Atos 1:8. 5. A certeza da ampliação da visão da Igreja Latina sobre Missões. 6. Ver a Igreja com a informação – a Igreja informada e consciente será capaz de terminar a tarefa. “Não há nenhum ministério que se desenvolva só e que possa se auto sustentar sem que haja uma equipe de parceiros em sua retaguarda”. I Cor 9:7 Plano de Ação Evangelismo, discipulado e pastoreio de universitários Mobilização e conscientização da igreja local Cochabamba Ministrar aulas no Seminário Teológico Batista de Cochabamba Projetos de intercâmbio missionário e estudantil com vocacionados de diferentes nações Receber obreiros de médio e longo prazo de diferentes nações Trabalhar para fortalecer a unidade das Igrejas na visão Missionária Mundial Mobilizar as Igrejas e seminários para o envio e adoção de obreiros aos campos

 

Primeira etapa Médio Prazo –

 

primeiros seis meses – Janeiro a Julho 2015 Entrada e adaptação cultural Iniciar reuniões com universitários, jovens e adolescentes Inclusão na igreja local Receber uma equipe de curto prazo em Julho (processo em andamento)

 

Segunda etapa –

 

2016 e 2017...

 

  • Receber no mínimo uma família de obreiros para ajudar nos treinamentos dos candidatos nativos e vindos de outros países (parcerias em andamento: Brasil, México e Bolívia) Esses obreiros já estão orando sobre o assunto.  
  • Preparar para enviar os primeiros bolivianos para as nações
  • Parcerias com outras igrejas e seminários para o envio de obreiros
  • Propósitos Construir uma consciência missionária nesta geração através do

 

meios e recursos disponíveis de forma a ter uma igreja transformada a cada passo.

 

  • Mostrar as diversificadas culturas, línguas, comportamentos, tradições,

 

costumes, necessidades e avanços, gerando um autêntico despertar e recrutamento da igreja de Cristo a favor da tarefa missionária.

 

  • Mobilizar os cristãos (igrejas, Seminários, empresários, jovens, adolescentes e crianças, nativos e estrangeiros e todos quantos queiram fazer a sua parte na

 

Grande Comissão) para que não apenas se sensibilizem, mas tomem atitudes investindo seu tempo, tesouro e talentos. Pois as necessidades são diversas não só dos povos e etnias, como também dos missionários, tanto dos que lutam na captação de recursos para saírem, quanto daqueles que já estão atuando no campo missionário, levando a mensagem do evangelho de Cristo a todos que ainda estão presos às suas crenças e tradições religiosas.

 

Ou seja, mostrar e atuar nas diversas faces dos campos missionários e além.

 

Objetivo Específico

 

Dar suporte às igrejas locais, missionários e candidatos aos campos missionários e seus respectivos ministérios. Evangelização, discipulado, educação e ensino, pastoreio universitário, atuar ainda em parceria com missionários e agências, ONGs e igrejas que já desenvolvem seus trabalhos. Declaração de Missão Cumprir com ousadia na dependência do Espirito Santo, o proposito eterno de Deus de alcançar os não alcançados com o Evangelho de Jesus Cristo, atuando nas áreas: espiritual, social, educacional, saúde e negócios.

 

Despertar, inspirar, encorajar e capacitar os cristãos latinos, visando terminar a tarefa da evangelização mundial. Declaração de Visão Levantar uma geração Latina comprometida e preparada para a evangelização dos povos não alcançados da Janela 10-40 e além.

 

Ver entre estes povos fieis adoradores do Senhor Jesus cumprindo o Seu ide. Declaração de Propósito Que Deus receba toda Honra, Glória e Louvor de todas as famílias da terra. “Do nascente ao poente, seja louvado o nome do SENHOR” Sl. 113:03

 

Perfil da família Navarro

 

Experiências Revista Urgência Missionária. 1990 a 1999. Diretor de Comunicação. Horizontes América Latina – HAL - Aluno do Projeto Radical. 1999 a 2003 Projeto Janela 10-40 e Além uma Missão Radical (03/99 – 03/03). Brasil, Paraguai, Pais de Gales, Escócia, Inglaterra. Membro do corpo de obreiros da HAL nas áreas de estratégia, Logística e Comunicações. (2003 – 2005) Projeto Bolívia – Santa Cruz de La Sierra (11/04) Projeto Argentina – Buenos Aires (12/05) Coordenador da Revista Visão Missionária em Uberlândia MG (2008 a 2011) Professor do IBADETRIM – História de Missões - Uberlândia 2010 - Professor na FABTEO – São Paulo 2013 – Contextualização Missionária Projeto Bolívia – Santa Cruz de La Sierra (07/13) Intercambio Docente em Cochabamba - Bolívia (05/14) IBCI – Igreja Batista Central em Itaquera. Secretario. Áreas de atuação Suporte às igrejas e ONGs parceiras na divulgação, mobilização e conscientização missio nária. Promoção de eventos missionários para ampliar a visão da igreja com palestras, conferências e seminários.

 

Divulgação do projeto para captação dos recursos necessários para cada uma de suas etapas.

 

Desafios: Passagens: R$2500,00 (saída programada para 12/01/15) Documentações: R$1500,00 Móveis para a casa: R$7000,00 Sustento mensal Ministerial: R$3000,00 (destes temos R$1000,00) Família Navarro

 

Ficha de Parceria Voluntária e Adoção (Enviar esta ficha de volta) SIM, eu desejo me tornar sócio mantenedor e intercessor do projeto Semeando No Campus e entendendo que formaremos um elo entre o missionário no campo e a igreja local.

 

Com esta ponte estamos cooperando com maior eficiência para evangelização mundial. Comprometo-me a estudar cuidadosamente cada passo não somente do desenvolvimento deste projeto como também do ministério dos missionários que atuam nas diversas áreas e regiões entre os Povos Não Alcançados da terra.

gp1

gp7

gp2

gp8

gp3

gp9

gp4

gp10

gp5

gp6